segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Arvores de Frutas de Calabaça

Arvores Frutíferas Calabaça

Árvore Frutífera perene de porte médio de até 16 metros de altura. Tronco e galhos tortuosos, pendentes, com casca de coloração acinzentada e cobertos por folhas em toda a sua extensão.
Calabaça
Nome científico : Crescentia cujete L.
As folhas são simples, inteiras, alongadas, de diversos tamanhos, cor verde-escura e brilhante, glabras ou ligeiramente pilosas nas nervuras da face inferior.
Não forma uma copa frondosa.
As flores muito vistosas, são relativamente grandes, tubulosas, grandes, hermafroditas, formadas ao longo do tronco e ramos de cor branco-amarelada.
Os frutos globosos são ovóides ou arredondados, cor verde-clara, com 15 a 30 centímetros de diâmetro com epicarpo verde, flexível e endocarpo lenhoso e resistente.
As cascas dos frutos tornam-se marrom-negros quando maduros e bem duros. A polpa é amarelada e contém muitas sementes.
Fruto: Julho a setembro
A planta se desenvolve e frutifica bem em condições de temperatura quente a amena, não tolera regiões frias sujeitas a geada.
A propagação é feita principalmente por sementes e pode ser feita também por enraizamento de estacas.
A planta é adequada para plantio em parques e jardins, pelo exotismo de seus frutos gigantes, semelhantes à melancia, no tronco e nos ramos. As sementes de elevado conteúdo proteico, podem ser consumidas, se cozidas ou torradas. A
polpa pode ser usada no preparo de xarope.
Os frutos, depois da retirada da polpa e secos, podem ser usados como recipientes domésticos, chocalhos, cuias, pratos e colheres rústicos.
Seu fruto, depois de lavado e seco, é utilizado como caixa de ressonância em berimbaus (instrumento musical afro-brasileiro).
Calabaça
Calabaça
O fruto possui propriedades terapêuticas, mas é preciso muito cuidado no seu uso, pois também pode ser tóxico.
O decocto e o extrato da casca são muito eficazes no tratamento da inflamação do intestino e contra o acúmulo anormal de líquidos no corpo.
A polpa, quando verde, é corrosiva e usada no tratamento de doenças respiratórias, e quando madura, é abortiva.
De seus frutos também se pode obter tinturas, além de cuias, muito usadas como vasilhas.
Calabaça

Fonte: www.arara.fr

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Arvores Frutíferas Achachairu

Arvores Frutíferasde Achachairu
Nome da fruta: Achachairu
Nome científico: Garcinia intermedia (Pittier) Hammel
Família botânica: Clusiaceae (Guttiferae)
Categoria:
Origem: México e América Central
Características da planta: Árvore geralmente de até 6 metros de altura, com látex amarelo. Flores alvas, reunidas na axila das folhas.
Fruto: Tipo baga, globoso, amarelo-alaranjado. Polpa adocicada, muito aromática, envolvendo uma a duas sementes.
Frutificação: Duas a três vezes ao ano
Propagação: Semente
O achachairu é fruto humilde. Discreto em sua miudeza, permanece em pequenos grupos próximos à folhas verde-escuras da árvore de florzinhas brancas, mirradas, que quase não alcançam meio centímetro. O fruto, um pouco maior, chega no máximo a 2,5 cm de diâmetro. Ali, no meio da mata, o achachairu aguarda até que algum habitante da floresta, carente de alimento, o apanhe para se saciar com sua polpa esbranquiçada, de sabor agridoce e aroma agradável, mas de aspecto pouco atraente.
Mas, se o achachairu não for colhido por homem, mulher ou criança de passagem, não há problema, pois seus principais consumidores, na verdade, são outros. Talvez menos exigentes quanto à necessidade de atrativos e menos avessos ao líquido branco que a planta exsuda quando cortada ou partida, são os macacos e os pássaros que mais fazem uso do achachairu. Daí ser a planta conhecida também pelo nome de fruto-de-macaco.
Originário do México e da América Central, com maior frequência nas proximidades do Canal do Panamá, o achachairu espalha-se discretamente pelas florestas brasileiras de clima e vegetação semelhantes aos da região de origem da planta. Por aqui, o achachairu possui parentes bem mais conhecidos e aproveitados comercialmente, como o bacuri e o bacupari, também da família das Gutíferas.
Embora o achachairu não receba grandes atenções daqueles que o encontram pelo caminho, a fruta esforça-se para isso, revestindo-se das cores nacionais. O fruto, quando verde, é bem verde, verde-escuro. Quando amadurece, vai-se amarelando, até quase exatamente a cor de ouro predominante na nossa bandeira. Depois, o achachairu, ainda abandonado, vai desistindo dessa possível estratégia de atração, alaranjando-se até apodrecer.
Fonte: Livro Frutas Brasil Frutas

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Arvores Frutíferas de Groselha

Arvores Frutíferas de Groselha

Nome da fruta: Groselha
Nome científico: Ribes nigrum L.
Família: Glossulariaceae
Categoria: Ácida
Existem duas variedades desta fruta: a groselha preta e avermelha, cujo valor nutricional é semelhante.
groselha possui as vitaminas AB2B6ESais mineraiscálciofósforoferroenxofre,magnésiocloro sódio, além de proteínas.
A presença de ácido oláxico prejudica um pouco a absorção dos seus nutrientes pelo nossoorganismo.
É indicada para os diabéticos, mantém a elasticidade e a resistência dos vasos sanguíneos, ajuda a prevenir constipações infecções intestinais e da pele; funciona como fortalecedor das gengivas.
Em 100 gramas de groselha preta há 180 mg de vitamina C, enquanto na vermelha há 30 gramas, sendo esta a maior diferença entre as duas.
Medicina popular, indicações para a groselha
Gota
Tomar de 2 a 3 copos do suco por dia ou comer a groselha preta ao natural.
Tumores
Aplicar sobre o tumor cataplasma das folhas trituradas e cobrir com argila medicinal. No preparo da argila, faça-o com o chá das folhas da groselha.
Erisipela
Tomar o suco de groselha vermelha, de 2 a 3 copos por dia. O primeiro copo pela manhã em total jejum
Fonte: Livro As 50 Frutas e seus Poderes medicinais

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Arvores Frutífers de Figo

Figo Informações sobre o Figo, características, vitaminas, benefícios e propriedades

figo 
Figo: uma fruta muito energética
CLASSIFICAÇÃO CIENTÍFICA
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Rosales
Família: Moraceae
Género: Ficus 
INFORMAÇÕES
A árvore que produz o figo chama-se figueira.
É uma fruta cuja origem é a região do Mediterrâneo.
É um fruto doce, saboroso e com uma polpa consistente.
Externamente possui uma coloração verde clara e roxa. Internamente é avermelhado e possui várias sementes pequenas.
São muito utilizados para a fabricação de doces e compotas. O figo em calda também é muito apreciado na culinária de diversos países.
É uma fruta muito energética, pois possui uma grande quantidade de açúcar.
Ela é rica em fósforo, potássio e cálcio.
Cada 100 gramas de figo possui, em média, 150 calorias.
A casca do figo possui uma consistência porosa.
Fonte:http://www.suapesquisa.com/frutas/figo.htm

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Arvores Frutíferas de Pera

Pêra Informações sobre a Pêra, características, vitaminas, benefícios e propriedades

pêra 
Pêra: muito consumida no Brasil
CLASSIFICAÇÃO CIENTÍFICA
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Rosales
Família: Rosaceae
Gênero: Pyrus 
INFORMAÇÕES
A pêra é um fruto muito nutritivo de sabor adocicado.
Possui uma casca fina que pode ser, de acordo com a espécie, de cor amarela, verde ou vermelha.
A polpa também varia de acordo com a variedade, podendo ser macia, dura ou granulosa.
As variedades mais conhecidas no Brasil são: pêra willians, pêra-d'água, pêra de pé curto e pêra red (casca vermelha).
É rica em sais minerais como, por exemplo, sódio, potássio, ferro, magnésio e cálcio.
As vitaminas encontradas na pêra são do tipo A, C e do complexo B.
Cada 100 gramas deste fruto apresenta, aproximadamente, 52 calorias.
É uma fruta rica em fibras, contribuíndo para o bom funcionamento intestinal.
É uma fruta típica de regiões de clima temperado.
Na culinária, é utilizada para a fabricação de geléias, compotas, sorvetes e outros doces.
A árvore que produz este fruto chama-se pereira.
Fonte:http://www.suapesquisa.com/frutas/pera.htm

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Arvores Frutiferas Kiwi: como cultivar

Kiwi: como cultivar

Kiwi: implantação e manejo do pomar

Reprodução por estaquia do quivi

Para a instalação do pomar poderemos utilizar sementes ou mudas enxertadas.
A técnica mais usada atualmente é a estaquia.
É feita na primavera com enraizadores à base de ácido indol butírico (AIB), quando terão mais chance de sucesso e poderão ser utilizados os ramos podados.
Cortar as estacas de caule com 10 cm de comprimento, com dois nós e preservar duas folhas, cortando-as ao meio para evitar grande perda de água.
O corte inferior da estaca é feito em bisel, isto é, em diagonal e deve ficar próximo a um nó.
Passar no enraizador e colocar em bandejas para enraizarem com vermiculita ou casca de arroz carbonizada, mantendo úmido o substrato.
Colocar um plástico por cima para evitar a perda de umidade.
Deixar em cultivo protegido até notar que começam a se desenvolver as gemas, quando então deverão ser retiradas com cuidado e transplantadas para sacos ou baldes plásticos com preparado feito de composto orgânico, adubo animal, farinha de ossos e areia, bem misturados.
Após o plantio, regar e manter esta umidade regando todos os dias por alguns dias.
Manter em cultivo protegido com sombra de 50% até as mudas estarem aptas a serem levadas para campo.

Adubação e cuidados do pomar de kiwi

Nos pomares já implantados realizar a adubação de primavera, com nitrogênio ou adubo NPK e farinha de ossos, incorporando no solo ao redor da muda, regando a seguir.
O uso de mulching ao redor da muda é uma boa prática, pois diminui a perda da umidade de regas e reduz a incidência de inços competidores.
Esta cobertura seca poderá ser palhada de lavoura cortada fino, cascas de trigo ou arroz.
No final do inverno, podar os ramos débeis, os que estão dirigidos para o meio da planta, deixando os mais vigorosos.
Deixar de 5 a 6 gemas em cada ponta cortada. Retirar os ramos que secam para aumentar a aeração do pomar.
As regas devem ser regulares e deve-se evitar o encharcamento, pois a cultura é sensível a fungos do solo.

Colheita do kiwi

Mudas provenientes de enxertos produzem a partir de 3 a 4 anos após o plantio.
Os frutos são colhidos antes de maduros e podem resistir entre 6 a 8 semanas armazenados.
O ambiente de estocagem deverá ser ventilado e se for levado para refrigeração a conservação nas câmaras frias deverá ser à temperatura de 1 a 2 ºC.
O kiwi é um fruto que ainda precisa ser mais conhecido pelos consumidores brasileiros

domingo, 8 de setembro de 2013

Arvore Frutífera Carambola (Averrhoa carambola)

Escrito por 

A caramboleira

Nome Botanico:Averrhoa carambola L.
Nomes Populares:Carambola, caramboleira
Família:Angiospermae – Família Oxalidaceae
Origem:Originária da Malásia na Ásia Tropical.
Foi introduzida no Brasil em 1817 e é cultivada nas regiões mais quentes do país.

Descrição

É uma árvore de porte pequeno e atinge em torno de 3 a 5,0 m de altura ou mais, conforme a região.
Sua forma é ovalada quando jovem e quando atinge o estado adulto assume uma forma mais arredondada.

As folhas são compostas de dois folíolos, são alternas e as pequenas flores são completas, nas cores rosadas ou amareladas, reunidas em inflorescência do tipo racemo.
O fruto é uma baga oval amarelo-claro, mas poderá se apresentar também avermelhado, de 12 cm aproximadamente de comprimento, com cinco gomos bem acentuados.
A polpa é suave, perfumada e de sabor acidulado.
As sementes são pequenas, ovais, achatadas, na cor marrom e não tem boa capacidade de germinação.

Modo de Cultivo

A caramboleira é uma árvore pequena e vistosa que presta-se para decoração de pequenos jardins, podendo ser usada no paisagismo urbano.
O fruto pode ser consumido in natura ou na forma de geléias, compotas e sucos.
É considerada medicinal, para tratamento de carência de vitaminas A e C.
É cultivada em regiões quentes, não sujeitas a frios e geadas, com temperaturas ao redor de 25 ºC.
O regime de chuvas ideal para cultivo é de mais de 1000 mm anuais e precisa se muito sol e umidade em torno de 80%.

Solo e substrato

O solo de cultivo melhor para a cultura é o areno-argiloso com boa profundidade, bem drenado e com pH em torno de 6 a 6,5.
Para cultivos de pomares comerciais, é necessária a análise de solos para realizar a correção de acidez.
Fotos utilizadas sob licença Creative Commons: DeusXFlorida
Fonte:http://www.fazfacil.com.br/jardim/carambola/

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Arvore Frutífera Cereja do Mato


Nome Científico: Eugenia involucrata
Nome Popular: Cerejeira-do-mato, Cerejeira, Cereja, Cerejeira-da-terra, Cereja-do-rio-grande, Cerejeira-do-rio-grande, Guaibajaí, Ivaí, Ibajaí, Ubajaí, Ibá-rapiroca, Ibárapiroca
Família: Myrtaceae
Origem: Brasil
Ciclo de Vida: Perene


A cerejeira-do-mato é uma árvore frutífera e ornamental, bastante popular nos quintais e pomares do sul e sudeste do Brasil. Sua copa é colunar e seu porte é pequeno a médio, alcançando de 5 a 15 m de altura. Devido a seu tronco belíssimo, que muda de cor periodicamente,  passando do verde ao vermelho-ferrugíneo intenso, e a sua copa colunar muito elegante, torna-se um elemento de grande potencial paisagístico para pequenos espaços. Frutos muito atrativos para pássaros, de 4 cm, cilíndricos, de casca fina, na cor vermelha a negra quando maduras,  são muito suculentos e de sabor agridoce. Floresce e frutifica na primavera. As folhas são verde-claras e muito brilhantes.